top of page

CIEMH2 COMEMORA OS 50 ANOS DO HIP HOP

Em 1973, em uma festa em um apartamento no Bronx, em Nova York, nascia o HIP HOP e para comemorar os 50 anos o projeto ARTES INTEGRADAS EM CURSO fará a grande festa na Praça do Polivalente no sábado, dia 11, a partir das 17h.

Com atividades culturais gratuitas, o projeto estará no bairro Costa do Sol com uma programação variada para todos os públicos, de crianças a idosos, e contando sempre com mediação de intérprete de LIBRAS. O evento iniciará às 17h com apresentação de dança com o Represent Dance Crew, Mc Kep, Dj Rataria, Grafiteiro Talu, Arena Livre de Free Style, Roda de Conversa, Slam, além da exposição “Impressão da mente de um Writer” do grande grafiteiro TALU e do Espaço “Leitura, Sabor e Arte” com títulos literários para todas as idades.


O projeto "Artes Integradas em Curso" propõe a difusão da arte realizando atividades culturais gratuitas na cidade de Macaé no período de julho a dezembro de 2023. Dentre as atividades oferecidas estão as Oficinas Culturais e Workshops realizados na sede do CIEMH2 Núcleo Cultural, no bairro Sol y Mar, Mostras Artísticas em diferentes bairros de Macaé, Espetáculo Musical como culminância do projeto além de ações culturais realizadas em escolas públicas como atividade de formação de plateia.


O projeto tem o patrocínio da EDF Brasil, via Lei de Incentivo à Cultura e realização do CIEMH2 Núcleo Cultural, Ministério da Cultura e Governo Federal do Brasil.




SOBRE AS ATRAÇÕES ARTÍSTICAS E AULAS

Dj Rataria é Natural de Macaé-Rj. Ex-bodyboarder profissional, começou a sua carreira de Dj após adentrar o Coletivo Rap da Ponte em 2014. Com seu empenho, tornou-se Dj residente da "maior roda cultural do Estado" e já tocou em mais 30 shows com o Coletivo Pés Descalços e com o Fernando Kep em turnês pelo Estado no lançamento do seu Ep de estréia Chama Raul.


Com uma discografia voltada para o Rap, Trap, Grime, Break Dance e Black Music, Dj Rataria é influenciado por músicos(as) do mundo inteiro. Abriu o show e dividiu palco com diversos grupos e artistas de renome do Brasil, como Gabriel Pensador, MC Funkero, 1 Kilo, 3030, Racionais Mc's, Rapadura, Modéstia Parte, Orochi, Néctar Gang, Juju Rude, Matheus MT, Sandrão RZO, Mc Gil Metralha, Gutierrez, Sheep, Slow da BF, Fernando Kep, Jef Rodrigues (O Quadro), Durango Kid, Taz Mureb, Dj Soneca, GROMAH, Caneta Beats, Protesto Suburbano, Servical, Thxuzz, Dj Mina simone, Ellen Corrêa, Unidade Sound System, DJ GROOVE, Thiago El Niño.




Fernando Kep é Mc, Articulador Cultural, Graffiteiro e Produtor. Artista desde de 2012, utiliza a música como ferramenta de transformação, e por isso se debruça em temas pertinentes como política, liberdade, autoestima e etc, se comunicando com seus pares e outros jovens através do ritmo, da poesia e da capacidade de identificação. Natural de Macaé/RJ, foi um dos fundadores do “Rap da Ponte” e da “Roda Cultural de Macaé”, além de integrar diversos movimentos artísticos na cidade. Fernando Kep é um dos nomes proeminentes na cena do Grime BR, já passou por eventos como “Exportação” do ANTCONSTANTINO, além de diversos movimentos de rua. Já fortaleceu vínculos e já trabalhou com NTCONSTANTINO, Taleko, Meio Feel, Matesu, AKA AFK, Bertho, MayDay, Chediak, Geninho, Menestrel, NMS e JOCA. Por fim, acabou de lançar seu Ep "FAT KEP" pelo selo Leigo Records através da editora Deck Disc e segue ganhando espaço na cena com sua forma escrita intimista e seu flow perspicaz e contundente.



Apresentação "BECO" com Representant Dance Crew

O espetáculo “BECO” dialoga em forma de dança as angústias, medos, receios e sentimentos que fazem do cotidiano um tanto quanto complicado para viver, sendo assim, explora como isso afeta ou não cada pessoa e como isso pode mudar hábitos, ideias ou opiniões.


O Represent Dance Crew foi fundado em 2011 pelo Coreógrafo e Intérprete Thiago Morethe. O grupo vem conquistando seu espaço no cenário artístico nacional, sendo contemplado em grandes eventos e festivais de âmbito nacional, como o Festival de Dança de Joinville, que em dois anos consecutivos foram contemplados com o troféu de 1º Lugar na categoria Solo Feminino Sênior, além dos troféus de 3º Lugar na categoria Duo. Na TV, participou da 2ª temporada da competição de Dança de Rua da TV Xuxa, na Rede Globo, além de participar de ações em bairros da cidade de Macaé.



Performance e Exposição de Graffiti com Felipe TALU

Felipe Dos Santos, o Talu, é escritor de graffiti, ingressou na sua caminhada no graffiti no começo dos anos 2000, como uns dos pioneiros da prática do graffiti no interior do estado, influenciado pelas escritas urbanas que acontecia nesse período na cidade, como tags e bomb, tipografias originárias do graffiti. Suas escritas seguem uma linhagem como os hieróglifos egípcios, que forma o laço entre a sua arte e a sociedade, que ao mesmo tempo busca o entendimento do porquê, para quê, e o que se escreve nas ruas. Talu faz parte de alguns coletivos de escritores de graffiti como a ABL (academia brasileira de letras), SNE (sempre na evolução), CSL (coletivo só letras), VL (viciados em letras), DREAM TEAM INT. (coletivo de escritores de graffiti do Brasil, Itália e Inglaterra) e coleciona participações em festivais e exposições em vários estados do Brasil e em países como EUA, Peru, Venezuela, Itália, Holanda, Alemanha.




AULÃO DE DANÇAS URBANAS

Josiane Sueiros - Dançarina desde 2007. Iniciando sua carreira no Projeto Arte Luz com aulas de Ballet; Na Escola de Dança de Macaé desde 2011, com aulas de Ballet, Jazz, Danças Urbanas e Dança Contemporânea. Em 2015, começou a frequentar aulas e participar de grupos relacionados à Danças Urbanas no CIEMH2 Núcleo Cultural. E atualmente é participante do grupo profissional Represent Dance Crew e Intérprete Criadora do Coletivo Flores, atuando em diversos festivais e projetos pelo Brasil, e ministra a oficina de Danças Urbanas no projeto Artes Integradas em Curso.

Lorena Bitencourt - Intérprete criadora do Coletivo Flores, bailarina do Represent Dance Crew, ministra aulas de Danças urbanas no CIEMH2, onde teve contato com a dança de forma profissional, Fez aulas de teatro, danças urbanas e o Curso de Formação de Liderança, participou do Projeto Artes integradas em cursos e do prêmio Funarte de dança Klauss Vianna 2015 com circulação em 2016/2017 alem do festival Diagonales de dansa (Argentina) Desde 2018 tem conquistado premiações no maior Festival de Dança do País: Festival de Joinville/SC, em 2019 se tornou bi campeã na categoria Solo Feminino.

Thiago Morethe - Fundador, coreógrafo e diretor do Represent Dance Crew.. Professor de Danças Urbanas na Escola Municipal de Dança de Macaé e CIEMH2 Núcleo Cultural. Intérprete no Coletivo Flores, participou do projeto Artes Integradas em Curso e do Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015, com circulação no ano de 2016/2017, além do Festival Diagonales de Dansa (Argentina); Desde 2017 tem conquistado premiações no maior Festival de Dança do País: Festival de Joinville/SC, onde ficou em 3º Lugar na categoria Duo Sênior com a coreografia "Groovin, já em 2019 foi selecionado e conquistou o 3º lugar na Mostra Competitiva na categoria Duo Sênior com a coreografia "Gravidade" e selecionado para palcos abertos com seu Solo "Movimento", em 2022 foi premiado em 2º lugar com seu trabalho solo masculino "Sertão". Durante a pandemia, em 2020 participou de festivais virtuais sendo premiado com as coreografias “Estreito” e “Lights Out” no Festival UP.




O HIP HOP e sua História


O hip hop emergiu em meados da década de 1970 nos subúrbios negros e latinos de Nova Iorque, verdadeiros guetos que enfrentavam diversos problemas de ordem social como pobreza, violência, racismo, tráfico de drogas, carência de infraestrutura e educação, etc.



Origem do Hip Hop

Existem diferentes visões sobre a origem do Hip Hop uma delas afirma que o fundador teria sido o DJ Kool Herc. E que o primeiro evento da história do hip hop ocorreu há 50 anos atrás no dia 11 de Agosto de 1973, na festa de aniversário da irmã do Dj, Cindy Campbell, no Bronx em Nova York.

Já uma outra versão (ou complemento da primeira) diria que Afrika Bambaataa seria reconhecido como o criador oficial do movimento, estabelecendo quatro pilares essenciais na cultura Hip Hop: o Rap, o DJ, o break e o graffiti.


Hoje em dia há um outro olhar complementar para o movimento reconhecendo outras vertentes e colocando um quinto elemento como base: o conhecimento. Também são reconhecidos outras artes como o slam, a moda, as gírias e afins. O Hip Hop está em movimento constante.


No Brasil:

O berço do hip hop brasileiro é São Paulo, onde surgiu nos anos 1980, dos encontros na rua 24 de Maio e no Metrô São Bento, de onde saíram muitos artistas reconhecidos como por exemplo Thaíde, DJ Hum, Racionais MC's, Rappin Hood, Nelson Triunfo, Nino Brown e outros.



FICHA TÉCNICA

Coordenação Geral: Dilma Negreiros

Coordenação Artística: Taís Vieira

Coordenação de Produção: Renato Mota

Realização: Ministério da Cultura, Governo Federal e CIEMH2 Núcleo Cultural

Patrocínio: EDF Brasil

Apoio Cultural: Bar do Jorginho, Associação de Moradores da Costa do Sol e Secretaria de Turismo


Comments


bottom of page